Polícia indiana procura fundador da Bitconnect por nova fraude milionária com Bitcoin

As autoridades da Índia estão buscando o fundador da BitConnect Satish Kumbhani por causa de um novo golpe envolvendo o Bitcoin (BTC) após denúncias contra ele no país.

Um advogado indiano relatou ter perdido quase 220 Bitcoins em um golpe de Kumbhani. De acordo com a denúncia, o fraudador convenceu o advogado a investir com ele 54 BTC.

De posse dos Bitcoins, Kumbhani reportava supostos lucros para o advogado indiano, na ideia de mostrar que o investimento estava dando certo.

No entanto, Kumbhani sempre convencia o advogado de que aquele não era o momento ideal para sacar o lucro. Além disso, o convencia a reinvestir o dinheiro em outras plataformas cripto. O advogado alega que, então, reinvestiu outros 166 Bitcoins, que seriam o lucro de sua aplicação.

Conforme afirma a denúncia, a fraude teve início no ano de 2016 e se seguiu até o ano de 2021. O fraudador teria usado o dinheiro do advogado para montar e operar a BitConnect, um dos grandes golpes da história do mercado cripto

Fraudes com o BTC na Índia

Ainda segundo o relatório, quando o advogado, em 2021, pediu para reaver seus 200 Bitcoins, Kumbhani sumiu. Assim, sem as suas criptomoedas, o advogado se viu enganado e foi até as autoridades denunciar o caso. A partir de então, a investigação teve início.

“Kumbhani provavelmente se mudou da Índia para um outro endereço desconhecido em um país estrangeiro. Desde novembro, a Comissão vem consultando as autoridades reguladoras financeiras daquele país na tentativa de localizar o endereço dele. No momento, no entanto, a sua localização permanece desconhecida”, diz um documento do governo dos EUA que também investigam o golpista.

Kumbhani deve responder pelos crimes de fraude eletrônica, operando um negócio de transmissão de dinheiro sem licença. Além disso, será acusado de três conspirações: cometer fraude eletrônica; manipular preços de commodities; e lavagem de dinheiro internacional.

Em setembro do ano passado, o principal promotor da BitConnect na América do Norte, Glenn Arcaro, se declarou culpado. Em novembro, os promotores disseram que venderiam cerca de US$ 57 milhões em criptomoedas apreendidas de Arcaro. Este mês, um juiz aprovou uma ordem alterada para a venda.

Leia também: BNB Chain e Platzi lançam programa de treinamento Web3 

Leia também: GitPOAP levanta R$ 20 milhões para trazer contribuições do Github na blockchain

Leia também: Vereador de Búzios (RJ) teria usado criptomoedas para lavar dinheiro ilícito com Faraó do Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.