Dificuldade de mineração do Bitcoin tem a maior queda em um ano

Em seu ajuste mais recente, nesta sexta-feira (22), a dificuldade de mineração do Bitcoin (BTC) caiu 5,01% em sua maior queda desde julho de 2021. Ou seja, trata-se da maior queda em um ano. Os dados foram publicados pelo BTC.com, site que rastreia a dificuldade de mineração da rede.

Está é a terceira diminuição consecutiva na dificuldade de mineração; o que também a torna a mais longa sequência desse tipo em pouco mais de um ano.

Segundo Jason Mellerud, pesquisador sênior da Arcane Research, a causa da queda inicial em meados de junho provavelmente foi a queda do preço do BTC.

Mas essa queda mais recente teve como causa, muito provavelmente, o desligamento das mineradoras em resposta aos altos preços da eletricidade nos EUA.

O que é a dificuldade de mineração do Bitcoin?

Os ajustes de dificuldade de mineração de BTC ocorrem a cada 2.016 blocos, ou seja, aproximadamente a cada duas semanas, em sincronia com a taxa de hash da rede.

A taxa de hash da rede caiu cerca de 8,9% desde 6 de julho, data da última atualização, de acordo com dados do The Block Research.

A dificuldade de minerar um bloco de Bitcoin refere-se à complexidade do processo matemático por trás da mineração. Esse fator se ajusta de forma automática para manter o tempo necessário para minerar um novo bloco constante em cerca de 10 minutos.

No processo de mineração, os mineradores tentam encontrar um hash abaixo de um nível definido. Assim, quando eles “descobrem” esse hash, ganham a recompensa em BTC.

À medida que mais poder de computação se conecta à rede, a dificuldade aumenta. Por outro lado, à medida que o poder de computação sai da rede – como tem ocorrido – a dificuldade se ajusta mais baixo.

Por que a dificuldade de mineração do Bitcoin caiu?

A dificuldade de mineração de BTC caiu, pois muitos mineradores tiveram que desligar as suas máquinas. Isso ocorreu para diminuir as demandas de energia nas redes em regiões que estão lidando com uma forte onda de calor nos Estados Unidos, sobretudo no estado do Texas.

“A dificuldade foi reduzida quando os mineradores americanos desligaram suas máquinas por períodos significativos nas últimas duas semanas. Isso porque os preços da eletricidade dispararam devido a uma onda de calor”, disse Mellerud.

Em meados de julho, noticiou-se que diversos mineradores de BTC do Texas, como a Riot Blockchain Inc., a Argo Blockchain Plc e a Core Scientific Inc., que operam milhões de computadores na rede BTC, precisaram desconectar os seus equipamentos.

“Existem mais de 1.000 megawatts de carga de mineração de Bitcoin que responderam ao pedido de conservação da ERCOT desligando suas máquinas para economizar energia para a rede”, disse Lee Bratcher, presidente da Texas Blockchain Association, à Bloomberg.

Além disso, a Marathon Digital, uma das maiores mineradoras de BTC, disse que 75% de sua frota de mineração sofreu prejuízos por causa de uma grande tempestade em Montana.

Leia também: BlockchaIn Rio Festival terá patrocínio da Nodle Network

Leia também: O que é uma DAO? Saiba tudo sobre essas estruturas de investimentos!

Leia também: Primeira coleção de NFTs da Solana mintada pelo OpenSea supera R$ 2,5 milhões em volume

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.