Começa votação oficial de proposta que vai definir futuro da Terra/LUNA

Começou nesta quarta-feira (18) a votação oficial para a implementação do hard fork na rede da Terra (LUNA). A medida visa recuperar a blockchain após seu colapso, mas a empresa de segurança em blockchain PeckShield já identificou um golpe associado à votação.

De acordo com a empresa, o golpe foi implementado ainda nesta quarta-feira e recebeu o nome de Terra Luna Classic (LUNC). Este é o mesmo nome que será dado a rede atual caso o fork seja aprovado. Ou seja, o projeto tem como objetivo se aproveitar do evento para tirar dinheiro dos usuários.

Criado na Binance Smart Chain (BSC), o golpe já foi identificado pela PeckShield. No entanto, a BSC ainda não classificou a rede como suspeita. Mesmo assim, não conecte sua carteira nem envie nenhuma criptomoeda para este endereço.

Hackers se aproveitam e aplicam golpe

A expectativa com uma eventual aprovação do fork fez os hackers se anteciparem. Segundo a PeckShield, o golpe estaria utilizando um site de phishing chamado v2terra.com. O objetivo é se passar pelo Revival Plan V2, nome oficial da proposta de divisão da Terra.

Embora tenha sido marcado como golpe, o projeto falso foi negociado ativamente na PanakeSwap, principal exchange descentralizada (DEX) da BSC.  a troca baseada em BSC mais popular. De acordo com dados da PancakeSwap, foram US$ 149 mil em LUNC negociados nas últimas 24 horas.

No entanto, o projeto chegou a registrar um volume de quase US$ 1 milhão em um período de sete dias, o que significa que este golpe está ativo há bastante tempo.

Golpe visa se aproveitar de proposta

O golpe é chamado de honeypot (“pote de mel”, em tradução livre). Ele surgiu depois que a proposta sobre dividir a a blockchain de Terra foi colocada em votação. A votação já está em vigor e deve ficar aberta pelos próximos sete dias.

Um honeypot é um contrato inteligente que finge distribuir alguns fundos para um usuário, como se fosse um airdrop. Mas para isso acontecer, o usuário deve enviar uma quantia de criptomoedas pedida pelo contrato.

Todavia, assim que o usuário faz o envio os fundos ficam presos no contrato. Ninguém mais pode acessá-los, exceto o criador – geralmente um hacker. Logo, quem enviou o dinheiro não recebe nada e perde a quantia que foi desembolsada.

Um exemplo comum de um honeypot são os golpes que prometem enviar de volta o dobro do valor depositado. Nesse sentido, o golpe promete um airdrop de dois Ether (ETH) para um usuário que enviar 1 ETH.

A PeckShield alertou que a votação do fork da Terra está ocorrendo e acabará em uma semana. Portanto, qualquer projeto que utilize o nome “LUNA Classic” é um golpe. “Não conecte sua carteira! Terra 2.0 ainda está em votação preliminar ”, alertou.

Entenda a proposta

De acordo com Do Kwon, a proposta procura criar uma nova blockchain, mas sem a stablecoin UST. A nova rede herdará o nome Terra, ao passo que a antiga será nomeada “Terra Classic”.

Esta reformulação é semelhante a que ocorreu no ataque ao The DAO, que afetou a rede Ethereum em 2016. O evento também dividiu a rede, criando uma nova (Ethereum) e mantendo a rede original (Ethereum Classic).

No final, o hard fork Ethereum prevaleceu e hoje é a segunda maior blockchain do mundo. Contudo, a divisão não foi bem aprovada pela comunidade. Cerca de 90% dos usuários rejeitaram a proposta inicial de Do Kwon. Ainda assim, uma nova proposta foi colocada em votação.

Leia também: Axie Infinity e projetos de NFTs são vítimas de novo ataque de phishing

Leia também: Do Kwon da Terra (LUNA) pode ter bens penhorados; entenda

Leia também: Meta arquiva 5 pedidos de marca para ‘Meta Pay’ citando criptomoedas, tokens e blockchain

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.