Blockstream, Tesla e Block fecham parceria para utilizar energia limpa na mineração de Bitcoin

A Bitcoin 2022 também recebeu anúncios importantes em termos de mineração limpa. Nesta sexta-feira (8), os dois principais vieram da Blockstream e da Canaan Mining. Ambas as empresas revelaram projetos para utilizar energia limpa na mineração de Bitcoin (BTC).

O primeiro a se apresentar foi Adam Back, CEO da Blockstream, membro dos “cypherpunk” e um dos candidatos a Satoshi Nakamoto. Em uma rápida palestra no Mining Stage, Back anunciou uma parceria entre a Blockstream e mais duas empresas: Block e Tesla.

Em seguida foi a vez de Edward Lu, vice-presidente sênior da Canaan, que desmistificou várias lendas sobre a mineração de BTC. Ao mesmo tempo, Lu revelou o novo modelo de mineradora lançado pela Canaan, a Avalon 1266.

De acordo com Back, a Blockstream e a Block pretendem inovar na mineração de BTC. Nesse sentido, as empresas começaram a montar uma operação de mineração movida a energia solar e bateria.

A nova planta de mineração terá sede no Texas, estado que concentra a maior atividade de mineração de BTC nos Estados Unidos. O local vai ser totalmente abastecido com energia solar, e também contará com baterias especiais de armazenamento.

Nesse sentido, a mineração fará tanto a geração de energia solar quanto seu armazenamento, o que garantirá uma reserva de energia. Logo, a farm não precisará depender da presença constante do Sol para ter energia.

Para isso, as empresas vão utilizar as baterias de armazenamento da Tesla, as Powerwall. Essas baterias servem para criar estoque tanto de energia solar quanto da energia gerada pela rede.

Segundo Back, a operação da Blockstream já conta com 80% de emissão sem pegada de carbono. Com os novos projetos, a tendência é que o número cresça ainda mais.

Após a palestra de Back foi a vez de Edward Lu realizar sua apresentação no Mining Stage. O executivo da Canaan começou falando sobre a energia limpa na mineração de BTC. De acordo com Lu, a prática tem potencial para mudar o rumo das vidas de milhões de pessoas.

Por exemplo, Lu citou que as máquinas de BTC podem ser utilizadas em hidrelétricas e até campos de petróleo e gás. Em ambos os casos, a prática aproveitará energia que já foi gerada nesses modais, mas que seria desperdiçada pela rede. Portanto, o BTC conseguiria tanto diminuir sua pegada de carbono quanto reaproveitar o excedente de energia.

Em seguida, Lu apresentou a Avalon 1266, nova máquina de mineração da Canaan. O dispositivo não tem relação com mineração limpa, mas é a primeira máquina da Canaan que alcançou uma taxa de 100 terahashes por segundo (TH/s).

Por fim, o vice-presidente anunciou uma parceria entre a Canaan e uma empresa europeia focada na mineração de Bitcoin focada em energia solar. Dessa forma, a mineradora pretende seguir os mesmos passos da Blockstream e apostar na mineração limpa.

“A maioria das máquinas em suas operações de mineração são alimentadas por painéis solares, e esse tipo de técnica será o futuro e a chave para a mineração limpa”, finalizou Lu

Leia também: Game em blockchain DEFY, quer superar o STEPN e ser o novo pump do mercado

Leia também: WAVES cai 50% em uma semana e pode cair mais 30%, diz analista

Leia também: O preço real do Ethereum (ETH) é US$ 6.000, segundo avaliação da Bloomberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.