Tesla implementa Dogecoin como meio de pagamento; criptomoeda sobe 13%

É oficial: a Tesla liberou o pagamento de seus carros através da criptomoeda-meme Dogecoin (DOGE). A medida foi anunciada pelo CEO Elon Musk no Twitter e, em seguida, divulgada no site da empresa.

Como resultado da medida, o preço da DOGE valorizou dois dígitos nesta sexta-feira (14). Até o momento da escrita deste texto, a criptomoeda apresentava alta de 13,09%, valendo R$ 1,06.

Não é segredo que Musk, atualmente o homem mais rico do mundo, é fã da DOGE. Em várias ocasiões, ele especulou que a Tesla poderia aceitar a criptomoeda como meio de pagamento. Agora, o anúncio torna-se oficial.

Pagamentos habilitados no futuro

Apesar do anúncio ter gerado furor e já contar com explicações oficiais da Tesla, a função de pagamento em DOGE ainda não está liberada. De acordo com uma simulação feita no site da empresa pelo CriptoFácil, ainda constam apenas as formas de pagamento tradicionais.

Isso porque a Tesla ainda precisará atualizar seus sistemas. Segundo a empresa, os preços dos produtos serão cotados tanto em dólar quanto em DOGE. Também haverá uma carteira específica para realizar as transações com a criptomoeda

A Tesla explicou que os usuários que desejam optar pela DOGE como pagamento precisam ter essa carteira, e eles podem transferir fundos através de um código alfanumérico ou um QR Code.

Opção de pagamento em DOGE ainda será incluída. Fonte: Tesla.

No entanto, a Tesla fez um alerta a respeito das compras com DOGE: elas não poderão ser devolvidas, afinal, as transações com DOGE não podem ser revertidas. Nesse sentido, o consumidor não poderá trocar os itens ou cancelar as operações.

“Uma vez que um pedido seja feito usando Dogecoin como método de pagamento, ele não pode mais ser cancelado. Todas as operações são vendas finais. Itens comprados com Dogecoin não podem ser devolvidos, trocados, cancelados, ou trocados por dinheiro”, explica a empresa.

A empresa enfatizou que a DOGE é a única criptomoeda aceita como meio de pagamento. O Bitcoin (BTC) chegou a ser aceito durante o ano passado, mas saiu da lista da empresa. Na ocasião, a Tesla alegou “preocupações ambientais” como justificativa para não aceitar o BTC.

Leia também: Tether congela três endereços Ethereum com US$ 150 milhões em USDT

Leia também: Metaverso The Sandbox lança nova competição que paga usuários em criptomoedas

Leia também: Hackers da Coreia do Norte roubaram US$ 400 milhões em criptomoedas em 2021, aponta relatório 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.