Mercado Livre adquire participação na 2TM, dona de exchange brasileira

O Mercado Livre definitivamente está entrando no mercado de criptomoedas. Após passar a permitir compra e venda de moedas digitais em sua plataforma, a empresa argentina de comércio eletrônico anunciou na quinta-feira (20) a aquisição de parte da 2TM, holding da exchange brasileira Mercado Bitcoin.

Além disso, o Mercado Livre fez um investimento estratégico na plataforma de blockchain Paxos, que faz a custódia das criptomoedas compradas via Mercado Pago no Brasil.

Os valores dos negócios não foram divulgados.

Mercado Livre focado em criptomoedas

Em dezembro do ano passado, o Mercado Livre passou a permitir que brasileiros comprassem Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e Pax Dollar (USDP) em sua plataforma.

Antes disso, no primeiro trimestre de 2021, a empresa adquiriu US$ 7,8 milhões em Bitcoin como estratégia de tesouraria. Agora, a organização está focada nas empresas que atuam no setor.

De acordo com a empresa, os investimentos reforçam seu compromisso com o desenvolvimento e uso de criptoativos e blockchain na América Latina.

“Com os investimentos, o Mercado Livre também pretende estimular o ecossistema regional, permitindo oferecer produtos e serviços cada vez mais relevantes aos empresários e usuários latinoamericanos, que estão no centro de sua estratégia”, disse o Mercado Livre, em comunicado.

Conforme destacou o vice-presidente sênior de Estratégia e Desenvolvimento Corporativo do Mercado Livre, André Chaves, a empresa está sempre avaliando as inovações e oportunidades em torno do mercado cripto à medida que ele evolui. Seu objetivo é ser um agente central dessa disrupção.

“Os ativos digitais e a tecnologia blockchain representam um fenômeno único, global e coletivo que quebra barreiras e cria um campo de atuação nivelado e aberto para que todos os usuários alcancem o empoderamento econômico, o que está muito alinhado com nossa missão como empresa”, destacou Chaves.

Enquanto isso, o diretor de estratégia da Paxos, Walter Hessert, ressaltou que o Mercado Livre foi a primeira grande plataforma a trazer acesso a criptomoedas e stablecoins para seus usuários no Brasil.

“Esse investimento é um forte sinal da dedicação da empresa em liderar a adoção convencional de ativos digitais na América Latina”, concluiu.

Leia também: Neymar paga R$ 3 milhões em NFT da coleção Bored Ape

Leia também: Venda de NFT do metaveso Mars4 levanta mais de US$ 250 mil em um dia

Leia também: Bitcoin cai 7% e volta para o nível de US$ 38 mil. Criptomoedas tem baixa de 10%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.