Análise Cardano: ADA em momento decisivo

Depois de quase um mês caindo, a Cardano (ADA) chegou em uma região de suporte importante e podemos voltar a alta em breve, o que esperar desse ativo agora em um momento sem grandes movimentações no mercado? Confira a resposta na análise de hoje.

Olhando para o gráfico semanal, vemos como a ADA segue em forte tendência de alta desde março de 2020 e no momento o ativo está indo testar novamente a região da linha de tendência.

Gráfico Semanal (W)

Atualmente, o grande suporte da Cardano está em US$ 1,00, para termos uma nova onda de alta devemos ter um pivot de alta acima da LTA.

Gráfico Diário (D)

Olhando o gráfico 4H vemos o preço caindo e o OBV apresentando uma pequena divergência de alta nos últimos dias e isso pode indicar um movimento de alta até os US$ 4,00  que é o próximo alvo da ADA.

Gráfico 4 horas

A Cardano segue sendo uma das principais criptomoedas do mercado, mas já não tem tanto upside depois de ter saído de US$ 0,03 para mais de US$ 3,00 ao longo dos últimos 2 anos. Segue sendo um forte ativo para o longo prazo mas está longe de competir com Bitcoin e ou Ethereum.

Leia também: ‘Preço do Ethereum vive momento ruim e será difícil algo para o salvar’, diz analista

Leia também: Tether obtém importante vitória em caso de manipulação de mercado

Leia também: IGP-M recua 0,64% em setembro e registra primeira deflação em 18 meses

Aviso: A informação contida neste documento não é garantida, não pretende ser abrangente e é estritamente apenas para fins informativos. Ela não deve ser considerada como recomendação de investimento/negociação. Toda a informação é acreditado para vir de fontes confiáveis. O CriptoFácil não garante a precisão, exatidão, ou integridade das informações na sua análise e, portanto, não será responsável por quaisquer perdas incorridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.