Preço do Ethereum vê seus sonhos de US$ 1.400 destruídos, diz analista

O preço do Ethereum (ETH) vem imprimindo alguns bons ganhos com 7% de alta na última semana. Porém, segundo o analista Filip L., as coisas não estão tão boas assim para a criptomoeda da maior blockchain de contratos inteligentes.

“Este terceiro dia de negociação indica uma mudança no sentimento que pode ver as pressões de baixa em alta. Desse modo, existe o risco de que todos os ganhos desta semana sejam perdidos e nenhuma nova alta mensal seja impressa”, disse.

Além disso, segundo ele, os ursos podem ter a oportunidade de levar o preço da Ether abaixo de US$ 1.200 até o final. De acordo com Filip L., isso pode ocorrer se a força do dólar entrar em ação.

Segundo ele, a mudança de sentimento vem de tensões geopolíticas na Ásia. EUA e a Coreia do Sul realizaram exercícios conjuntos, incluindo vários ataques com mísseis em resposta à Coreia do Norte, que lançou um míssil novamente esta semana.

Preço do Ethereum mostra sinais mistos

Filip apontou que com o surgimento desse novo risco de contágio global, ​​os mercados estão preocupados. Os investidores acham que os EUA estão “provocando” demais a China, com este exercício e com o apoio a Taiwan.

“O preço do ETH, não pode ciar abaixo de US$ 1.300, pois a partir daí é queda livre. Isso ocorre porque os touros do Ethereum não podem atingir novos máximos para a semana, o que pode apontar para um falso suporte de US$ 1.243”, afirmou.

Por fim, ele disse que se o nível de US$ 1.243 quebrar, então o próximo suporte está em US$ 1.100.

“Por outro lado, é bastante normal que os mercados deem um pequeno passo para trás. Se isso ocorrer, será um catalisador otimista que vai entrar em ação. Nesse caso, um rali pode se materializar e ganhar velocidade novamente na sexta-feira para US$ 1.400”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.