Mineradores de Ethereum se preparam para mudanças na rede

A CoinDesk publicou nesta quarta-feira (30) como empresas de mineração de Ethereum estão se preparando para as mudanças na rede. O hard fork London implementará importantes mudanças na mineração de ETH.

A Proposta de Melhoria do Ethereum 1559 (EIP-1559) é uma delas. A proposta mudará fundamentalmente o sistema de recompensas ao incluir uma taxa base e alterar a remuneração de mineradores.

Além disso, mineradores de Ethereum também falaram sobre a migração para o Ethereum 2.0.

Hard fork London

A EIP-1559 já começou a ser implementada e deve entrar totalmente em julho. A mudança faz parte do hard fork London, e tem como objetivo reduzir as taxas da rede até a migração para o Ethereum 2.0.

Atualmente, as taxas são dinamicamente alteradas conforme o fluxo da rede e pagas aos mineradores. Já no novo modelo, as taxas terão um valor base, por isso o novo nome.

Além disso, o valor pago pela taxa base será queimado, em uma política deflacionária. Por este motivo a EIP-1559 causou um atrito entre desenvolvedores e mineradores.

“Embora pensemos que [EIP-1559] trará melhor previsibilidade para inclusão de transações, acreditamos que a queima das taxas é uma má ideia, uma vez que muitas transações que exigem amplo recurso computacional para executar contratos inteligentes não serão mais compensadas,” opinou Slava Karpenko, diretor de tecnologia da 2Miners, à CoinDesk.

Brien Lee, diretor da 11GPUs, também falou sobre a nova atualização: “Todos nós aceitamos. […] Estou certo que eles farão isso. É só uma questão de tempo, julho ou agosto.”

Igor Stadnyk, CEO da Minerall, explica a necessidade de ceder à nova atualização da rede. Segundo o executivo, mineradores descontentes com a proposta terão que atuar em uma versão paralela do Ethereum, algo que ele considera não ser vantajoso.

“Quais opções nós temos? Se dissermos ao mundo que não estamos felizes com esta proposta e vamos executar um software não atualizado, trabalharemos no antigo Ethereum. Isso significa que mais um Ethereum Classic será criado. Será como uma bifurcação na rede e então a questão é: outros grandes players do mercado de mineração apoiarão essa divisão? Eu acredito que não,” disse.

Ethereum 2.0 a caminho

Não apenas o hard fork London trará mudanças, como também o muito aguardado Ethereum 2.0. Prevista para ser completamente implementada em 2022, a atualização muda o algoritmo de mineração do Ethereum.

Ou seja, haverá uma migração do atual algoritmo de prova de trabalho (PoW) para prova de participação (PoS). Desta forma, mineradores se tornarão validadores, sendo necessário destinar o mínimo de 32 ETH para cumprir esta função.

Stadnyk afirmou à CoinDesk que já está executando alguns validadores do Ethereum 2.0. Entretanto, figuras como Brien Lee e Slava Karpenko não se mostram inclinados a iniciar este processo neste momento.

Leia também: França conclui testes promissores de liquidez com sua CBDC

Leia também: Bitcoin pode entrar em 650 bancos dos EUA por meio de app

Leia também: Token DeFi some e rouba R$ 10 milhões de seus investidores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.