Lockdowns na China motivaram Tesla a vender bitcoins, diz Elon Musk

Na quarta-feira (20), a Tesla divulgou seus resultados trimestrais revelando a venda de 75% das suas posições de Bitcoin (BTC). Em seguida à divulgação dos resultados, o CEO Elon Musk explicou que os lockdowns da China motivaram a empresa a vender seus BTC.

Durante uma sessão de perguntas e respostas, Musk disse que a incerteza quanto aos fechamentos chineses fez a Tesla rever sua posição de caixa. De acordo com o CEO, a empresa concluiu que precisava reforçar suas reservas para se proteger contra os efeitos das políticas da China.

Portanto, a Tesla escolheu a venda de BTC como forma de trazer mais dinheiro para o seu caixa.

“A razão pela qual vendemos um monte de nossas participações em Bitcoin foi que não tínhamos certeza de quando os bloqueios do COVID na China seriam aliviados. Por isso, era importante para nós maximizar nossa posição de caixa, dada a incerteza dos bloqueios do COVID na China”, disse Musk.

Tesla gastou R$ 580 milhões com venda

Na videoconferência com os acionistas, a Tesla explicou que converteu a maior parte de seus BTC em moeda fiduciária, direcionando os ganhos para o caixa da empresa. Mas a empresa vendeu durante a queda do mercado, o que significa que teve um prejuízo consolidado.

Especificamente, a empresa gastou US$ 106 milhões para o P&L (lucro e prejuízo), que corresponde a R$ 580 milhões em valores atuais. Além da venda de BTC, o valor também inclui as despesas de reestruturação relacionadas a reduções de pessoal.

Em fevereiro de 2021, a Tesla gastou o equivalente a R$ 7,5 bilhões em sua primeira compra de BTC, pagando cerca de US$ 29.000 por unidade. Mas a empresa teria vendido próximo da mínima do trimestre, quando o BTC caiu para próximo de US$ 18.000. Ou seja, é possível que a montadora de carros elétricos tenha realizado um prejuízo de até 32% com a operação.

Apesar da venda, Musk disse que a Tesla está aberta a aumentar suas participações em BTC no futuro, e também ressaltou que a empresa não vendeu outras criptomoedas. Portanto, a Tesla ainda possui investimentos em Dogecoin (DOGE), para alegria dos fãs da criptomoeda-meme.

Política de Covid zero

A política de Covid zero na China, utilizada por Musk como justificativa para a venda, envolve a tomada de medidas severas de isolamento. Nesse sentido, a China implementa lockdowns pesados sempre que uma região registra casos da Covid-19.

No final de maio, por exemplo, cidades como Pequim e Xangai registraram um salto no número de casos da doença. Em seguida, o governo bloqueou totalmente ambas as regiões, proibindo todas as pessoas de saírem de casa e os comércios de funcionarem.

Só que esta política tem paralisado diversos serviços de cadeias de suprimento na China, os quais são vitais para a circulação de bens no mundo. Como resultado, a economia chinesa teve forte queda no segundo trimestre em relação ao primeiro, tanto na produção industrial quanto nos gastos do consumidor.

Leia também: Binance integra Comitê de Criptomoedas e Blockchain no Brasil recém-lançado

Leia também: Número de clientes de ATM cripto no Brasil salta 80% mesmo em cenário de baixa

Leia também: Uso de mixers em transações ilegais com criptomoedas atinge máxima histórica em 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.