Fim da alta? Volume de Bitcoin cai 55% e preocupa

O volume de transações diárias na rede Bitcoin caiu em mais de 20% nas últimas semanas. De acordo o relatório do The Block, o gráfico semanal registrou no último domingo (6) cerca de 217 mil operações. A última vez que o índice atingiu tal zona foi em agosto de 2018.

Além disso, a quantidade de dólares presentes na rede diariamente caiu 55%, saindo de US$ 17,3 bilhões para US$ 7,7 bilhões. Embora o cenário seja pouco otimista, especialistas explicam que uma mudança nessa métrica pode indicar novas recuperações.

Ainda, outros indicadores técnicos do BTC também foram afetados, como a confusa relação atual das posições compradas e vendidas. No momento da escrita desta matéria, os números indicam indecisão.

Mercado baixista?

O volume de transações diárias na rede Bitcoin regrediu para níveis de três anos atrás. Em 31 de agosto de 2018, o número de operações no ecossistema foi de 217,15 mil.

O declínio ocorre após uma série de correções no mercado. Parte desta queda é atribuída às declarações de Elon Musk e às restrições do governo chinês com as criptomoedas.

Atualmente, o Bitcoin oscila na margem de US$ 36 mil. Uma desvalorização de 43,7% comparada à sua máxima histórica de US$ 64 mil.

Além disso, dados do Glassnode indicam um grande volume de saques nas exchanges este mês. De acordo com o relatório, a quantidade de retiradas é a maior desde novembro de 2020.

Bitcoin

Geralmente, analistas vinculam a saída de criptomoedas de exchanges com um sinal positivo. Acredita-se que as criptomoedas são movidas para uma armazenagem mais segura, pois traders esperam uma valorização maior.

Em meio a este cenário, as ordens de comprado e vendido — longshort — apresentam um mercado indeciso. O levantamento da Binance, por exemplo, sugere que 50,3% dos investidores apostam em um aumento no preço para o longo prazo.

Enquanto isso, cerca de 49,7% dos investidores aposta em uma queda.

Exchanges

O que dizem os especialistas

A métrica de volume é considerada a mais importante para 38% dos especialistas, segundo uma pesquisa do CoinDesk Markets.

“O volume é, sem dúvidas, o aspecto mais importante fora do preço. […] Para muitos outros indicadores técnicos, o volume pode servir como confirmação ou rejeição de uma dada hipótese”, analisou Matt Thompson, Diretor de Desenvolvimento de Negócios e Operações da Coinigy para o CoinDesk.

Analistas usam o indicador para traçar as vantagens de negociação. Entende-se que, caso o preço do Bitcoin caia junto com o volume, uma possível reversão ocorrerá em breve no mercado.

O mesmo pode acontecer se o preço sobe ao mesmo tempo em que há uma queda no volume. Tal sinal é um forte indicador de queda. Ou seja, num primeiro momento a métrica pode ser negativa.

Entretanto, acredita-se que uma queda no volume em um mercado lateralizado — caso atual do Bitcoin — abre espaço para diferentes resultados. Caso o preço suba junto com o volume a partir daqui, uma tendência de alta pode ser esperada no curto prazo.

Leia também: Traders brasileiros estão entre os que mais lucraram em 2020 com Bitcoin

Leia também: Analista explica aumentar em 10 vezes os ganhos com criptomoedas

Leia também: Investir em ações da Oi ainda é uma boa após leilões de ativos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.