Ethereum lança hard fork Grey Glacier e adia em 100 dias lançamento da bomba de dificuldade

A rede Ethereum (ETH) recebeu uma nova atualização nesta quinta-feira (30). O hard fork intitulado “Gray Glacier” foi lançado no 15.050.000. De acordo com os desenvolvedores, o hard fork não registrou falhas durante a execução.

No entanto, este hard fork não tem nenhum grande objetivo específico. De fato, o único objetivo do Gray Glacier é introduzir mudanças nos parâmetros da bomba de dificuldade da rede. O lançamento do fork adiou a bomba de dificuldade em 700 mil blocos, ou cerca de 100 dias.

Como resultado, o prazo para implementação da bomba aumentou para o dia 8 de outubro.

Noas regras e melhorias

A atualização do Gray Glacier é um hard fork, ou seja, cria novas regras para melhorar o sistema. Dessa forma, ele exige que os nós e mineradores baixem a versão mais recente do software.

“Se você estiver usando um cliente Ethereum que não está atualizado, seu cliente vai sincronizar a blockchain pré-fork assim que a atualização ocorrer”, disse a Fundação Ethereum.

Em outras palavras, os clientes não atualizados ficam presos em uma cadeia incompatível seguindo as regras antigas. Se não atualizarem os nós, esses clientes não poderão enviar, receber nem validar transações no Ethereum.

Contudo, apesar do alerta da Fundação, nem todos os nós e mineradores atualizaram seus nós. Conforme dados do Ethernodes no momento da escrita deste texto, 28% dos nós ainda não tinham atualizado seus softwares.

Os nós do Geth, maior cliente do Ethereum, atualizaram somente 74%, que dá cerca de 1.035 nós atualizados. Enquanto o Openethereum, terceiro colocado, não atualizou nenhum dos seus 100 nós.

Entre os três maiores clientes, somente o Erigon, segundo maior, atualizou todos os seus 164 clientes. Por fim, o Nethermind atualizou 52 dos 65 nós, o que dá uma taxa de atualização de 80%.

Qual é a bomba de dificuldade do Ethereum?

A bomba de dificuldade, que faz parte do Ethereum desde o primeiro dia do seu lançamento, é o principal detalhe do novo fork. Sua função é aumentar exponencialmente a dificuldade de mineração da Ether (ETH).

Com isso, a rede vai desincentivar os mineradores a continuar suas operações com Prova de Trabalho (PoW). À medida que isso acontece, o aumento da dificuldade fará os mineradores migrarem para o modelo de consenso de Prova de Participação (PoS).

Em outras palavras, a bomba de dificuldade é o principal catalisador da The Merge, a atualização que muda esse consenso. Por isso que o The Merge não será implementado enquanto a rede não ativar a bomba de dificuldade.

A Ropsten, principal rede de testes do Ethereum, recebeu a The Merge no início de junho. De acordo com desenvolvedores, “se tudo correr como planejado”, a atualização chegaria na rede principal até agosto.

No entanto, a The Merge precisa da bomba de dificuldade. Como o Grey Glacier adiou a implementação por mais 100 dias, o prazo de agosto tornou-se inviável. Levando em conta o cronograma, o The Merge não seria implementado antes de 8 de outubro.

Mas o cronograma da EIP-5133 agora aponta para meados de setembro como um novo prazo para a implementação da The Merge.

Antes do Grey Glacier, o Ethereum passou por outros cinco forks: Byzantium, Constantinople, Muir Glacier, London e a atualização mais recente do Arrow Glacier em dezembro de 2021. Todas elas postergaram o lançamento da bomba de dificuldade, o mesmo que aconteceu com a Grey Glacier.

Leia também: União Europeia chega a acordo para rastrear as transferências de criptomoedas 

Leia também: Polkadot vai se desfazer de ‘conselho’ e criar novo sistema de governança

Leia também: Ex-integrante do Federal Reserve pede que EUA proíbam todas as criptomoedas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.