ETF de Bitcoin na B3: o que significa isso?

Entre 2018 e 2021, muito se falou em fundos de Bitcoin negociados publicamente em bolsa. Este instrumento de investimento é conhecido como ETF e, até então, esperava-se que o primeiro fosse aprovado nos Estados Unidos.

Contudo, muito mudou nesses três anos, especialmente nos últimos meses. Diversos ETFs de criptomoedas foram aprovados em redor do mundo, inclusive no Brasil.

A gestora Hashdex lançou, em parceria com a Nasdaq, o ETF com a sigla HASH11. Ele segue o Nasdaq Crypto Index (NCI), uma cesta de criptoativos criada por ambas as instituições.

O HASH11 captou R$ 600 milhões e, logo em sua estreia na B3, foi o segundo fundo mais negociado do dia.

Nesse cenário de rápidos desenvolvimentos de um assunto até então estagnado, é importante entender o que um ETF negociado na B3 representa.

Para isso, o mais recente episódio do Debate Descentralizado busca esclarecer o tema. Rodrigo Digital convidou Bernardo Pascowitch, Fernando Carvalho, Ezequiel Gomes e Daniela Meyer para compreender melhor o que esse rápido avanço representa para o mercado financeiro como um todo.

Leia também: Analista revela: mesmo em alta, Ethereum vai ser desbancado pela Solana

Leia também: Mark Cuban muda de postura e defende Bitcoin publicamente

Leia também: Ethereum rompe US$ 3.000 e Vitalik Buterin vira um bilionário

Aviso: O texto apresentado nesta coluna não reflete necessariamente a opinião do CriptoFácil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.