Especialistas fazem análises nada positivas para sobre o Bitcoin

Ainda com preços subindo, analistas olham com pessimismo para o momento atual das criptomoedas. Esperam-se novas quedas, uma vez que não há estímulo de compra acima do preço de US$ 60 mil do Bitcoin nos últimos meses.

Gabriel Fauth

Em 2017 temos alguns momentos que se destoam do que temos agora. As quedas em valor de mercado em 10 de junho e 6 de novembro, momentos onde shitcoins passam a ser extremamente valorizadas.

Contudo, é importante ressaltar que as quedas sempre são precedidas de grandes altas nas criptomoedas alternativas.

Outro sintoma de fim de alta é o fenômeno onde diversas shitcoins sem fundamentos passam a ser populares e atingirem alto nível valorização com muita volatilidade, logo após uma alt season. Preciso dar o nome aos bois?

Em 2021, a dominância do Bitcoin vem caindo de forma “saudável” sem fortes pancadas, mas a queda sem respiro para o mercado é preocupante e sinaliza bolha. Os fundamentos do Bitcoin ainda são superiores a novos entrantes de fim meramente especulativo.

Ainda em 2021, vemos que a ETH se distancia muito das demais criptomoedas, demonstrando que há um apreço pelo Ethereum como uma tecnologia mais avançada e promissora. Isso talvez torne o Ethereum lar dos protocolos DeFi que lideram o mercado hoje.

Já em 2017, XRP e IOTA lideraram a alt season. Diferente da IOTA e da ETH, considero o XRP um token fraca e precedeu certinho o fim da alta.

Veja o gráfico dinâmico.

Gráfico

Malandrini

Mesmo que a volatilidade do Bitcoin não seja novidade pra ninguém, as oscilações violentas no preço estão fazendo com que alguns níveis técnicos se deteriorem rapidamente.

O mais significativo nível de resistência de sobrecarga de negociação se dá na região de US$ 58,5 mil (linha vermelha). Ele foi marcado por máximas anteriores, e é neste nível que a barreira inicial deve ser ultrapassada para ganhos adicionais.

Em caso de rompimento, podemos ver US$ 61,5 mil (linha laranja) e US$ 64,8 mil (máxima histórica) como próximas resistências.

Em caso de mais queda, US$ 50 mil continua uma região de primeiro apoio potencial, pois pode oferecer alguma resistência de nível psicológico.

Contudo, essa queda repentina de ontem me leva a crer que há grandes chances de atravessarmos esse suporte. Nesse caso, a região de US$ 43 mil (linha verde) pode ser testada, ou até mesmo US$ 40,5 mil.

Nesse caso, uma tendência de baixa maior pode ser criada.

Veja o gráfico dinâmico.

BTC/USD

Rodrigues

No atual cenário gráfico, da forma que eu entendo, não estou disposto há ir as compras. A criptomoeda parece que ainda está em uma correção após uma grande alta.

O indicador DI- está acima do DI+, indicando ainda uma força vendedora, e um possível retorno à média móvel de 200 períodos está no meu radar.

Como estou rastreando tendências e comprando em correções, neste exato momento fica fora do meu modelo.

Veja o gráfico dinâmico.

BTC/USD

GZanotta

A criptomoeda Chiliz, após longa acumulação, parece estar se preparando para uma grande pernada de alta de aproximadamente 55%. Se não houver interferência do BTC , a CHZ pode estar voltando ao caminho do US$ 1 por unidade.

Veja o gráfico dinâmico.

CHZ/USDT

Disclaimer: As análises aqui apresentadas são apenas estudos. Elas não são recomendações de investimento, nem de compra nem de venda, tampouco refletem a opinião do veículo de mídia na qual estão sendo divulgadas. São estudos direcionados a pessoas com conhecimento e experiência no mercado financeiro.

Nossos Autores: Gabriel Fauth, Malandrini, Rodrigues e GZanotta.

Leia também: Investidor transforma R$ 88 em R$ 30 milhões com Dogecoin falsa

Leia também: 5 tokens estão na mira da Coinbase e podem disparar em breve

Leia também: Criptomoedas meme estão encarecendo taxas do Ethereum, diz analista

Aviso: O texto apresentado nesta coluna não reflete necessariamente a opinião do CriptoFácil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.