El Salvador dará R$ 150 em Bitcoin para cada cidadão

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, apresentou a nova carteira de Bitcoin (BTC) do país na quinta-feira (24) e, juntamente com a carteira, os cidadãos receberão um bônus de US$ 30 em BTC, ou R$ 149 na cotação atual.

De acordo com a apresentação, a nova carteira recebeu o nome de Chivo (bode, em espanhol), cujo download poderá ser feito para sistemas Android e iOS. O layout do dispositivo é intuitivo e contém poucas opções, facilitando a experiência do usuário. Também será possível fazer a conversão direta, bem como a solicitação do bônus direto no aplicativo.

Carteira de Bitcoin oficial de El Salvador. Fonte: apresentação.

Segundo Bukele, a carteira e o bônus estarão disponíveis a partir de 7 de setembro, data na qual a Ley Bitcoin entrará em vigor no país. “”O aplicativo funcionará em qualquer lugar com uma conexão de célula, e você não terá que ter um plano de célula para o aplicativo”, disse Bukele.

Bônus foi comemorado

A novidade causou muita expectativa e teve boa repercussão. Influenciadores estimam que, a princípio, o governo salvadorenho investirá cerca de US$ 100 milhões em BTC para executar o plano. Em outras palavras, o bônus pode trazer uma forte pressão compradora para o mercado.

Simultaneamente, o gesto servirá para trazer mais pessoas como usuários da criptomoeda. O analista Willy Woo estima que a rede pode crescer 2,5% com a adesão de 4,5 salvadorenhos adultos.

Presidente revela bônus para estimular adoção do BTC. Fonte: apresentação oficial.

Curiosamente, este será o primeiro airdrop de BTC realizado por um governo. O governo não revelou como será o processo de aquisição e distribuição dos BTC. Contudo, a carteira realizará operações tanto com BTC quanto com dólares.

Curso legal ou curso forçado?

Outro tópico do discurso de Bukele diz respeito a obrigatoriedade de uso do BTC como moeda, bem como o padrão de conta dos preços. Em primeiro lugar, Bukele afirmou que, ao contrário do que se pensou, o BTC terá curso legal, porém seu uso não será forçado pelo governo.

A diferença entre curso legal e curso forçado é sutil, mas importante. No primeiro caso, o uso da moeda é permitido com uma opção. Já no segundo, a moeda é obrigatória, ou seja, ninguém pode recusar pagamentos com aquele dinheiro específico.

“Receber Bitcoin é totalmente opcional. É opcional por causa dos artigos 7, 8 e 12 da Lei. Ao ler todos os itens, ou apenas ver como a carteira funciona, você pode entender que não afetará ninguém”, esclareceu Bukele.

Em segundo lugar, os preços de todas as transações continuarão efetivados em dólar. A moeda norte-americana, portanto, seguirá como unidade de conta, sendo o BTC uma opção tanto para clientes quanto para comerciantes.

Caixas eletrônicos

Por fim, Bukele também anunciou que 1.500 terminais para saque (ATM) de Bitcoin serão instalados no país, através de uma parceria com a Athena Bitcoin. Inicialmente seriam 1.000 ATMs instalados, mas após um “desafio” de Bukele, o número foi ampliado.

O investimento total da Athena nos ATMs será de US$ 1 milhão, ou R$ 4,93 milhões na cotação atual. As máquinas permitirão a trocas de dólares por BTC e vice-versa.

Leia também: Bitcoin corrige e é acompanhado por Ethereum e Binance Coin

Leia também: 4 criptomoedas para bons lucros em recuperação do mercado

Leia também: Nova York pode eleger prefeito favorável ao Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.