BlackRock investe US$ 400 milhões na Circle e planeja utilizar stablecoin USDC

A Circle, emissora da stablecoin USDC, recebeu um grande investimento de US$ 400 milhões esta semana. O dinheiro foi pago pela BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, que planeja entrar forte no mercado de stablecoins.

Nesse sentido, a gestora pretende utilizar uma stablecoin dentro de suas operações tradicionais. A gestora estadunidense possui US $ 9,5 trilhões em ativos sob gestão. Para Jeremy Allaire, CEO da Circle, a mudança será transformadora.

De acordo com Allaire, a BlackRock já participa da gestão dos ativos que dão lastro ao valor da stablecoin. O novo investimento faz parte da estratégia da BlackRock para aprofundar ainda mais essas relações.

“Além de seu papel como gestora dos ativos primários das reservas da USDC, a BlackRock firmou uma parceria estratégica mais ampla com a Circle que inclui explorar as aplicações da USDC no mercado de capitais. Vamos atualizar a infraestrutura fundamental do mercado financeiro do modo como os dólares trabalham em mercados de capitais.”, disse Allaire.

Revolução e agilidade

Atualmente, o sistema bancário não se move na velocidade da Internet, sobretudo em transferências internacionais. Uma transação de baixo valor pode levar até três dias úteis para ser processada por um banco, por exemplo.

Há também risco de contraparte e risco de liquidação, bem como possibilidade de bloqueios. Em contrapartida, as criptomoedas (incluindo stablecoins) não possuem essas limitações. Transações com USDC são muito mais rápidas e, na maioria dos casos, o custo é irrisório.

No entanto, a BlackRock não revelou exatamente quais são seus planos ao investir na Circle. Os possíveis usos da stablecoin também não foram revelados. Mas segundo Allaire, se a gestora adotar a USDC em transações isso trará uma “grande oportunidade”.

“Existem todos os tipos de desafios que estão lá. E acho que Blackrock desempenha um papel incrivelmente grande nos mercados de capitais, gerenciando US$ 10 trilhões de ativos e lidando com essa infraestrutura. Trata-se de uma grande oportunidade para trazer casos de uso para USDC”, explicou.

Nativamente, as stablecoins já possuem diversos casos de uso: exchanges, finanças descentralizadas (DeFi), NFTs e outros. Quanto aos mercados tradicionais, elas poderiam abrir caminho para transações mais baratas, instantâneas e sem a necessidade de intermediários.

Leia também: Como ter uma renda mensal de R$ 5 mil com criptomoedas

Leia também: GMT e KNC em destaque: confira as cinco criptomoedas que mais se valorizaram na semana 

Leia também: USDT e não o Bitcoin é a maior ferramenta de fraudes na internet, diz China

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba informação em primeira mão e sem SPAM.


© Como Ganhar Dinheiro. Todos os direitos reservados.